Saul – Quando se abrem ao Amor, não há nada a esconder – 17.03.2017

Saul – Quando se abrem ao Amor, não há nada a esconder – 17.03.2017

A humanidade está despertando! Há muitos sinais aparentes de que isso esteja acontecendo em todo o planeta, sinais claramente visíveis, exceto por aqueles que optam em permanecerem inconscientes  ou em negação sobre a verdadeira natureza de sua humanidade – e de que as pessoas sejam seres espirituais imortais numa experiência física temporária e limitada, encarnadas como humanas.

De fato, muitos daqueles que, desconhecendo suas essências espirituais, veem apenas o mundo físico e desejam permanecer implacáveis julgadores daqueles de quem discordam, devido ao seu intenso sentido interior de indignidade, do qual só podem esconder ou escapar projetando suas supostas indignidades nos outros.

No entanto, na medida em que a compaixão pelos outros se torna cada vez mais difundida, aqueles sobre quem procuram, com raiva, projetarem os seus medos, recusam-se cada vez mais a lutar ou a se defenderem. E isto é uma enorme mudança de atitude.

O Amor envolve a todos em cada momento, é a força da vida que flui através de seus corpos, capacitando-os e, mesmo que se neguem ou se recusem a reconhecê-lo, Ele sempre estará com vocês, porque é o que vocês são e nunca poderão estar separados d’Ele.

Esta enorme mudança de atitudes é uma consequência direta de muitos de vocês reconhecerem suas verdadeiras naturezas e abraçá-las. Sim, o mundo em que vivem como seres humanos lhes oferece muitas distrações desta verdade que, em momentos de silêncio, quando reconhecem, intensificam suas consciências delas, dão-lhes a força e a perseverança para enfrentarem de forma competente e satisfatória as questões humanas com as quais todos têm de lidar.

Presentemente, muitos estão se sentindo esgotados porque, na medida que seus problemas centrais surgem para serem reconhecidos e liberados, ficam muito chocados com os pensamentos violentos sem Amor, que surgem em suas consciências. E, então, podem se perguntar de onde eles poderiam estar vindo, já que suas intenções são, apenas, serem amorosos, honrando, respeitando e serem compassivos com os outros e, ainda assim, estes pensamentos estão presentes, encorajando-os a julgar ou condenar aqueles que veem em sofrimento e dor e mesmo aqueles que se sentem orientados a ajuda-los.  

Parece insano, muito confuso, até mesmo muito perturbador. E é, mas o jogo de separação que tem sido praticado por muitas eras, tem sido muito violento e cruel. Dentro do coletivo, permanecem e precisam ser libertados aqueles pensamentos de vingança, ressentimento, amargura, desejo de julgamento, condenação e punição daqueles que se envolveram em comportamentos violentos e que são responsáveis por causarem graves sofrimento e dor em outros que, permanecem e precisam ser liberados para a cura do coletivo acontecer.

Isso é o que está acontecendo agora. Em todo o mundo há lugares em que conflito, intensa dor e sofrimento estão acontecendo como resultado da crença de longa data da humanidade, em estar certa e julgar os outros errados, infligindo sofrimento sobre eles para “ensinar-lhes uma lição”. Agora, começa a entender que esse tipo de comportamento arbitrário só constrói ciclos infinitos e repetitivos de amarguras e ressentimentos, levando a mais do mesmo, como sua história tão claramente demonstra.

São todos somente Amor. Embora aqueles que estão nos reinos espirituais continuam a lembrá-los, continuam se esquecendo disso e, assim continuamos a, novamente, lembrá-los. Crianças pequenas aprendem por repetição e, em termos espirituais, todos vocês são crianças pequenas e, portanto, precisam ser constantemente lembradas de que todos, sem exceção, são os filhos amados de Deus, até que escolham aceitar essa verdade divina e atuarem a partir dela, em vez do personagem irreal que construíram para apresentar aos outros enquanto experimentam a vida na ilusão.

O personagem por trás do qual muitos se escondem, porque têm medo da aparente fraqueza que uma pessoa carinhosa mostra, precisa ser descartado por ser um mecanismo de defesa que acredita no irreal –  na separação.

Enquanto se apegarem a personagens irreais ou máscaras, mais tempo estarão fechados para o Amor que é a verdadeira natureza de cada um de vocês e viverão sub o domínio do medo. Muitas vezes estão cientes das pessoas falsas que outros apresentam ao mundo, enquanto permanecem desconhecendo ou negando o seus próprios Eus, ou acreditam que são seus personagens, como muitos fazem e usam-nos para parecerem adultos, fortes e competentes.

Por outro lado, a maioria de vocês, em algum momento de suas vidas já teve oportunidade de se reunir e foi influenciada, ainda que muito brevemente, por alguém que estivesse vivendo de forma plena e permanente num estado amoroso. Esse encontro deixou sua marca em vocês, que nunca irão esquecê-lo, porque a pessoa parecia ser tão poderosa e estar paz consigo mesma, que transmitiu a todos o desejo possuir esse poderoso senso em si mesmas.

Esse estado está disponível para vocês, se abdicarem de seus personagens, suas máscaras irreais e permitirem que o Amor que são, fluir livremente através de vocês. Quando fizerem isso, irão encontrar paz e contentamento. Somente assim irão encontrar paz e contentamento. Entretanto têm medo de fazê-lo porque acham que serão usados, traídos, atacados ou de outras maneiras feridos ao se abrirem em tal e aparente vulnerabilidade.

O fato é que, uma vez que encontrarem a coragem de experimentá-lo irão descobrir que, ao se permitirem ser aparentemente vulneráveis, de fato são invulneráveis.  O Amor não pode ser ferido!

Quando vocês se abrem ao Amor, não têm nada a esconder, são apenas vocês mesmos – abertos, honestos, confiáveis – e todos se sentem seguros e honrados em suas presenças porque seus campos de energia são amorosos em vez de julgadores e ameaçadores.

O processo de despertar é a decisão e a escolha de se libertarem, liberando as falsas máscaras ou personagens distorcidos por trás das quais, coletivamente estiveram escondidos por eras, com medo para serem, apenas e unicamente, vocês. Uma escolha extremamente libertadora a ser feita, porque, uma vez feita e adotada, irão se sentir mais livres do que foram, embora nada às suas voltas pareça ter mudado.

E quando diariamente se recolherem aos seus sagrados santuários interiores para meditar, orar ou simplesmente encontrar um momento de paz, abram seus corações naquele momento para o Amor que lá está sempre presente e peça ajuda para que possa encontrar a coragem de estarem abertos e amorosos, em todos os momentos durante seus dias. Imediatamente sentirão o apoio que lhes será oferecido o tempo todo.

Então, liberem, liberem-se de seus personagens ou máscaras, e do medo que escondem e cumprimentem o mundo exterior com um sorriso e desfrutem da resposta resultante. Todo mundo  deseja, apenas, ser aceito e amado e, se cada um sair amorosamente no mundo, tudo que estiverem oferecendo, será refletido cem vezes de volta para vocês.

Com muito Amor, 

Saul.

Canal: John Smallman 

Fonte: http://johnsmallman.wordpress.com/

Tradução: Sementes das Estrelas / Candido Pedro Jorge

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s