Ramatis – Crianças Clonadas – Prioridade do Parlamento Espiritual da Terra – 05.11.2010

Ramatis – Crianças Clonadas – Prioridade do Parlamento Espiritual da Terra – 05.11.2010

Caros(as) Irmãos(ãs)! Durante um bate papo com um grupo de amigos(as) surgiu um assunto sobre as crianças atuais. Algumas amáveis e outras um tanto quanto agressivas. Após muitas opiniões e hipóteses, o tema “espiritualidade” foi envolvido. O grupo era composto por kardecistas, umbandistas, católicos, metafísicos e os mais ou menos. É claro que houve divergências. Uns acreditam que frequentar missas, orar pelas crianças, cuidar de suas vidas com bens materiais e saúde já é o suficiente, principalmente para “ganhar” uma entrada para céu. Outros desejam a “exclusividade” de sua “Linha”; que somente ela é capaz de ajudar as crianças e que uma Entidade do Kardecismo não pode trabalhar com um Caboclo da Umbanda, ou que um Mestre Ascenso não pode trabalhar com um Preto Velho e assim por diante. Não os culpo, não sou dono da verdade, mas meus conhecimentos, ensinamentos dos meus Guias e meditações me levaram a crer que há apenas as “Linhas” e todas Entidades de Luz tem o mesmo objetivo. Somos Todos Um. O que temos de entender são os trabalhos efetuados por essas Entidades da Luz, sendo algumas de altíssima estirpe sideral. Aproveitarmos nossa mediúnidade neste auxílio, nos disponibilizarmos também em estado de sono e buscarmos ao mesmo tempo nossa ascensão. Houve um momento em que comentei um fato: certa vez conheci uma moça de uns 30 anos em um Centro de Umbanda e ela comentou que era clonada. Explicou que havia um tubo conectado pouco abaixo de sua nuca e que ele fosse retirado, morreria fisicamente. Também via seus obsessores/manipuladores e os chamava de “ovóides”. Tive a oportunidade de vê-la brigar com eles por alguns instantes. Já fazia uns 4 anos que se tratava naquele Centro, mas ainda não tinha previsão de quando seria libertada. Não sei se o caso dela foi solucionado pois só a encontrei naquele dia. As conversas foram até altas horas e pude notar a incredulidade na fisionomia de alguns, dúvidas em outros e satisfação em outros. Continuar lendo