Experiências com Meditação põem a descoberto a falácia de medicar crianças para a Desordem do Défice de Atenção – 14.04.2017

Experiências com Meditação põem a descoberto a falácia de medicar crianças para a Desordem do Défice de Atenção – 14.04.2017

18 Abril, 2017 por Edward Morgan

Artigo traduzido para o idioma português – PT

Os especialistas não conseguem chegar a acordo para uma única e simples definição de défice de atenção / hiperatividade (TDAH), mas concordam que isso causa um comportamento desfavorável nas instituições educacionais, profissionais e correccionais. Mesmo o Manual de Diagnóstico e Estatística de Transtornos Mentais (DSM), a bíblia do diagnóstico psiquiátrico, define-o usando um teste de múltipla escolha para uma série de sintomas comportamentais, demonstrando a sua ambiguidade clínica.

É uma doença mental, ou uma deficiência de aprendizagem? É ambiental, ou hereditária? O TDAH é curável, ou não?

“É mais bem pensado como uma descrição. Se você reflectir sobre como esse rótulo é determinado é notável porque qualquer um de nós num determinado momento se poderia encaixar em pelo menos alguns desses critérios.” Bruce D. Perry, M.D., Ph.D.

Alguns médicos corajosos até chegaram a dizer que o TDAH é uma doença fictícia e fraudulenta:

“O TDAH é a fraude destinada a justificar a iniciação das crianças numa vida de dependência de drogas” – Dr. Edward C. Hamlyn, membro fundador do Royal College of General Practitioners

“… depois de 50 anos práctica médica e de ver milhares de pacientes que demonstraram sintomas de TDAH, cheguei à conclusão de que não existe tal coisa como o TDAH” – Dr. Richard Saul

E alguns médicos abertamente admitem terem diagnosticado falsamente crianças com TDAH. Não porque eles têm uma condição identificável que pode ser devidamente tratada com medicação, mas porque eles precisam de alguma forma de melhorar o comportamento da criança, a fim de que a criança se adapte melhor ao ambiente educacional.

A iniciativa coube ao Dr. Michael Anderson, um pediatra da zona de Atlanta. Incrivelmente, Anderson disse ao New York Times que os seus diagnósticos de TDAH são “inventados”, “uma desculpa” para disseminar as drogas:

“Nós decidimos que, como sociedade, que é muito caro modificar o ambiente da criança. Então, temos que modificar a criança”, disse Anderson. (Fonte)

Enquanto os novos medicamentos para o TDAH estão a ser lançados e os lucros da indústria aumentam, os diagnósticos de TDAH a crianças na América também continuam a aumentar drasticamente e agora até mesmo os bebés estão a ser medicados para modificar o seu comportamento. O pressuposto no estabelecimento médico é que o TDAH é melhor abordado com drogas psicotrópicas, apesar do facto das evidências indicarem que as drogas ADHD não ajudam as crianças a terem melhores notas.

LER: As crianças que meditam em vez de fazerem medicamentações ADHD têem resultados surpreendentes

Em 2016, uma escola primária em West Baltimore foi notícia a nível internacional por ter substituído os castigos por meditação e reportaram resultados incríveis. Queixas de comportamentais contra um aluno são tipicamente o fundamento para encaminhar uma criança para um especialista em TDAH e, neste caso, a meditação melhorou o comportamento em geral na escola:

Em vez de puni-los ou enviá-los para o escritório do director, os administradores agora enviam as crianças para “o quarto do momento consciente” onde eles serão capazes de meditar e relaxar. A nova política está em vigor há mais de um ano e, desde o momento em que a sala de meditação foi criada, não existiram realmente mais suspensões durante o resto do ano. (Fonte)

Em 2015, a Fundação David Lynch levou a meditação transcendental a 900 presidiários da Oregon Correctional Institution. Os resultados foram impressionantes sendo que os participantes destacaram uma melhoria da qualidade de vida, um foco melhorado e, mais importante, um sentimento de Paz, carregando menos stresse e mais Paz para um ambiente normalmente difícil de gerir.

Comparando a meditação com a medicação, o vídeo seguinte da Fundação David Lynch mostra como a meditação transcendental é usada experimentalmente na Kingsbury Day School em Washington, DC, uma escola para crianças com dificuldades de aprendizagem baseadas na linguagem. Duas vezes por dia o programa regular da escola pára e as crianças meditam, usando o método da meditação transcendental durante apenas dez minutos com resultados incríveis e sem o uso de fármacos para o TDAH.

Link Youtube

Pensamentos finais

Existem formas simples e naturais de tratar o amplo e ambíguo conjunto de questões comportamentais a que nos referimos como TDAH. Melhorar a dieta, tutoria e aumento do exercício físico podem ter um impacto notável mas, no entanto, a meditação está a colocar-se na vanguarda como um dos melhores tratamentos naturais, visto que ela pode realmente retreinar o cérebro para se concentrar aumentando assim o desempenho e reduzindo a frustração. Afinal, a meditação é a prática da concentração, enquanto o TDAH é a falta dela.

Alex Pietrowski, escritor contibuidor para o site Waking Times.

(Nota Gilberto – Assista ao documentário: “Manual de Diagnóstico e Estatístico: A Farsa mais Mortífera da Psiquiatria”)

Link Youtube

Fonte: http://www.wakingtimes.com/

Read in: English

Fonte – Prepare for Change

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s