Jesus Cristo – O anúncio da Nova Tri-Unidade – 02.04.2017

Jesus Cristo – O anúncio da Nova Tri-Unidade – 02.04.2017

(Nota Gilberto – Caros(as) irmãos e irmãs!

Esta mensagem é completada por outras duas mensagens: “Mãe Maria – O anúncio da Nova Tri-Unidade (2ª Parte) e “Arcanjo Miguel – O anúncio da Nova Tri-Unidade (3ª Parte)“. Há também, dois artigos explicativos: “Recepção da Radiância Arcangélica” e “Postura Shakti“.

Para melhor compreensão, aconselho a acompanhar os posts do “Plêiades 1”.

Todos os posts vocês encontram na “Página Principal”, “Categorias”, “Plêiades 1”. Leiam o “Glossário, sempre atualizado, para tirar dúvidas e melhor compreensão e “Chamada aos Agrupamentos/Falanges!” — Os Enunciados do Plêiades 1 x Fatos vocês encontram na “Página Principal”, “Categorias”, “Plêiades 1 – Sincronias” — See more Notes of Pleiades, in English, Click Here — Information and Glossary Specific, in English, Click Here)

Mensagem traduzida para o Idioma português de Portugal

Que a Paz esteja com todos vós. Dignos Filhos Ardentes do Sol. Em cada coração, aqui e em outros lugares, eu venho entregar-vos os elementos da minha vinda desde o mais alto dos céus.

A genitora da nossa carne anunciou-vos, há algumas semanas, um certo número de mecanismos; esses estão em operação e vão reforçar-se. No tempo em que Miguel, desde há alguns meses, ara o céu e a terra, no tempo em que o conjunto da Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres está à vossa porta, tudo está preparado e tudo se finaliza. Como vos anunciou a nossa Mãe, o mecanismo da Ascensão foi desencadeado, culminando, neste período, nos eventos enunciados por João o bem amado. O que se deve cumprir segundo a vontade do Único, de Abba, o nosso Pai, realiza-se sob os vossos olhos de carne. Quanto a mim, vocês o sabem, eu retornarei de maneira efetiva da mesma maneira que eu parti há dois mil anos. Não me busquem em outros lugares senão no vosso coração e no céu.

Os preparativos foram terminados. Assim o decidiu a Fonte Una, procedendo então desde 8 de Março de 2017. Muitos dos processos concernem ao conjunto do sistema solar e ao conjunto das consciências presentes no interior deste vivem doravante as primícias do Apelo da nossa Mãe. Vigiem e orem, pois nenhum elemento do vosso efémero deve vir alterar ou perturbar o impulso da vossa eternidade ao Coração do Coração.

Qualquer que seja a vossa condição, qualquer que seja a vossa situação, o momento chegou de render graças, de se deixar evanescer tudo o que não é verdadeiro. Lembrem-se que mais precisamente nestes tempos, e mais particularmente neste dia que anuncia a Páscoa, que o momento chegou de ser na verdade o Caminho e a Vida, de serem viventes além dos limites da vossa forma, além de qualquer sentimento, de qualquer ressentimento ou de qualquer aceitação. A hora chegou, como eu o fiz há dois mil anos, de entregar o vosso espírito entre as mãos da Fonte.

Dignos irmãos e irmãs, filhos do céu e da Terra, vocês vão descobrir que vocês estão sobre este mundo e que vocês não são deste mundo. Além disso, a atualização do Juramento e da Promessa, tal como foi enunciado pela própria Fonte, concretiza-se e densifica-se sob os vossos olhos, na vossa carne como na superfície deste mundo, onde quer que vocês levem os vossos olhares. O tempo da Revelação toca o seu auge. A 7ª Trombeta anunciando o Apelo de Maria vai ressoar em breve sobre o conjunto da Terra. O tempo não é mais para qualquer mudança do que quer que seja, mas chegou o tempo de se instalarem da maneira mais definitiva possível na vossa eternidade.

A Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres vos anunciará, pela voz de Maria, o desenrolar dos eventos que acontecem (se produzindo) neste momento sobre o conjunto da Terra como na vossa consciência. A hora chegou de saldar tudo o que pode vos parecer ter a saldar, a resolver, a superar.

Lembrem-se nestes instantes solenes, que vocês não podem mudar um pingo do que é, do que foi e do que será. A melhor postura, a melhor atitude, pode estar apenas no interior, na vossa casa, no vosso templo, lavado e purificado para acolher o canto da Ressurreição consecutivo ao Apelo de Maria. Nenhum obstáculo, mesmo o que vos pareceria insuperável, pode manter-se diante dos eventos ligados, como vocês sabem, à Nova Tri-Unidade, trazendo-vos a Nova Eucaristia, o selo da vossa eternidade, o conjunto das chaves Metatrónicas e as tribulações descritas por João, o profeta bem amado, sob o meu ditado.

Então sim, eu repito hoje «Vigiem e orem». Quaisquer que sejam os vossos males, qualquer que seja a vossa cultura, ultrapassem as noções históricas, ultrapassem as noções inscritas nos livros chamados a Bíblia ou qualquer escritura santa. Eu pertenço à humanidade e não a uma religião constituída, da qual Satan fez a sua sede. Eu vos convido a partir de hoje, neste período particular pré-pascal, a deixar emergir tudo o que ainda pode frear o pleno estabelecimento da vossa eternidade. Vigiem e orem, vejam o que é para ver, vivam o que é para viver, mas conservem a alegria do vosso coração, pois o que vem, quaisquer que sejam as aparências, representa em definitivo apenas as lutas terminais do que se agoniza e que pertencem ao reino deste mundo.

Não se deixem enganar nem tentar por qualquer reflexo de fuga de qualquer situação que seja. Vocês são a Luz do mundo, vocês são os Filhos Ardentes do Sol, as Sementes de estrelas, os porta-estandartes da Luz. Hoje, convém viver isso na totalidade da vossa presença na superfície deste mundo, quaisquer que sejam as situações, os eventos que vocês tenham a viver, em vós como no vosso exterior.

É através do que se desenrola em cada um de vós que o vosso posicionamento e a vossa atribuição se desvela de maneira cada vez mais precisa e nítida, mas guardem presente no vosso coração que quaisquer que sejam as manifestações, quaisquer que sejam as alegrias, quaisquer que sejam as dores, tudo isso não faz senão passar a fim de deixar a vossa eternidade aparecer no grande dia, sem que ninguém se possa colocar adiante da Verdade em encarnação e estabelecida em vós.

Maria, Miguel, eu mesmo, e o conjunto das forças da Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres estão doravante ao vosso serviço para auxiliar a vossa ressurreição. Quaisquer que tenham podido ser as vossas dúvidas, quaisquer que tenham sido as vossas interrogações, esqueçam tudo isso, pensem a cada sopro no que vocês são na eternidade, mesmo se até agora não vos foi permitido viver esse momento. Tenham uma fé total e absoluta nessa eternidade; quer vocês conheçam ou não ao que isso corresponde, pouco importa. Vão direto ao objetivo, direto ao essencial, ao que não passará jamais – o que vocês são na verdade, além de qualquer forma, além de qualquer história e além de qualquer cenário.

Dignos filhos do Único, eu venho trazer-vos, onde quer que vocês estejam neste dia preciso de 2 de Abril de 2017, se vocês me acolherem, eu venho revelar, se já não foi feito, o que é a vossa eternidade, o que é a vossa alegria, o que é a vossa divindade que está além de qualquer forma, de qualquer matriz e de qualquer contingência.

Bem amados da Luz, bem amados do Amor, vocês mesmos Amor e Luz, não se voltem para trás pois o que passa conclui-se e nada o pode reter. Os dias da Ressurreição aproximam-se a grandes passos, eles são, na vossa língua «iminentes», segundo o calendário da Terra. Então estejam leves, estejam na alegria, estejam na graça, estejam no perdão, pois não existe nenhuma falta nem nenhum erro que possa manchar o que é o Espírito que vocês são. Somente o corpo e as estruturas efémeras da vossa consciência presentes sobre a terra podem ser ainda dolorosos, mas isso não é nada a partir do instante em que vocês vigiam e oram comigo, no vosso coração.

Assim hoje eu venho dizer-vos novamente : «Paz a vós e Paz em vós». A hora é para o Amor, o que quer que vos diga o vosso corpo, o que quer que vos diga o vosso efémero. Não escutem a voz da ilusão, não escutem a voz dos vossos sentidos, mas bem mais, e mesmo exclusivamente, o que vos diz o vosso coração neste instante, nestes dias.

As graças são abundantes sobre a terra para aqueles entre vós que aceitam vivê-las, na condição de se entregarem à vossa eternidade. Nenhuma circunstância de vosso efémero vos pode afetar a partir do instante em que vocês se consciencializam da verdade do vosso ser, da verdade da Luz e da verdade do Amor.

O Amor é simples, ele não tem o que fazer com as vossas cogitações, ele não tem o que fazer com as vossas histórias limitadas, ele não tem o que fazer com os vossos rancores, ele não tem o que fazer com os vossos prazeres, pois ele é a própria Alegria eterna da Graça, a Alegria eterna do Espírito, desconhecendo qualquer limite de forma, de espaço ou de dimensão.

Assim, eu vos digo uma terceira vez : «Paz a vós, Paz em vós». Eu estou convosco, não somente até ao fim dos tempos mas neste fim dos tempos.

Entre este dia, neste instante preciso até ao período pascal e até à Ascensão, e até ao Pentecostes, nos dias do vosso calendário do ano de 2017, eu venho-vos enunciar e vos anunciar a boa nova: Cristo ressuscita em vós. Assim a Paz é a vossa morada da eternidade. O que quer que vos diga este mundo, o que quer que vos digam os vossos próximos, o que quer que vos digam as vossas leis, o que quer que vos digam os sistemas de poder e de controlo, vocês são seres livres de toda a eternidade, tendo sido enganados pelas forças opostas à Luz. Cuja capitulação sem condição deixa apenas alguns fragmentos ou bolsos de resistência que cederão no momento do Apelo da nossa Mãe.

Vigiem e orem, olhem o vosso coração, sem falsas aparências e sem evasivas, sem mentirem a vocês mesmos, aliás vocês não o poderão mais desde este dia. Somente a franqueza, a verdade, a transparência, a ética, a integridade e a humildade vos guardarão de qualquer falta, de qualquer erro pertencente a esta história. É em vocês que se revela o Cristo, é em vocês que se revela o Espírito do Sol, é em vocês que se revela o Coro dos Anjos, é em vocês que se revela a Verdade.

A Verdade não está neste mundo, ela foi viciada, alterada. Apresentou-me como um salvador, o que seguramente eu não sou, sou simplesmente aquele que vem cortar os últimos véus da Ilusão pois a minha língua é uma espada, assim como a espada de Miguel que vos vem trazer a liberdade cortando os vossos laços residuais ou persistentes do efémero. Saibam contudo que o conjunto da Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres respeita e respeitará a lei do Amor, a lei da Liberdade, a lei do Único.

Breve, a partir do Apelo da nossa Mãe, vocês terão a oportunidade de ver desfilar o conjunto da história, aquela da Terra como aquela da vossa alma em peregrinação na Ilusão deste mundo. Lembrem-se de que somente o Amor verdadeiro e incondicionado é a garantia do vosso estabelecimento na Eternidade, sem atraso, sem problema e com facilidade.

Onde quer que vocês estejam sobre esta terra, da mesma maneira que o 8 de Março foi anunciado, pela santa Tri-Unidade, a realidade do mecanismo ascensional, pelo aumento do que vocês chamam a vibração cósmica, a resposta da Terra permitiu efetivamente engrenar o processo ascensional nele mesmo. O conjunto das preliminares nestes momentos que vocês vivem foi realizado tal como vos foi anunciado por múltiplas vozes.

Em cada um dos vossos gestos, em cada um dos vossos factos que vocês tenham a viver, vos será lembrada a vossa eternidade. Qualquer que seja a alegria, eu repito-o, qualquer que seja o sofrimento, isso apenas passa, somente resta e restará o que é verdadeiro. Logo não existirá sobre esta terra mais nenhum lugar onde se subtrair-se da Luz Una, não há nada a fugir. Lembrem-se também de que não há nada a salvar concernente ao efémero. Vocês estão aqui sobre esta terra – qualquer que tenha sido a duração no seio das vossas múltiplas encarnações -, de passagem. A Terra não é vossa morada. A Terra podia ser uma morada no tempo em que a nossa Mãe a semeou.

Hoje vocês vão descobrir, e de maneira extremamente rápida, a Verdade que não tem necessidade de nenhuma palavra, de nenhuma história, de nenhuma questão, e que cada um de vós só pode reconhecer, qualquer que seja o posicionamento anterior da vossa consciência. Portanto deixem o Fogo do Amor crescer em vós, deixem o Fogo Ígneo revelar o vosso espírito na sua pureza original, na sua pureza original, além de todo o tempo. O tempo, tal como ele é vivido na encarnação sobre esta terra, é um lugar de desgaste onde o tempo que passa implica e provoca uma dissolução das formas que vocês chamam a morte. No Espírito e na verdade, vocês jamais nasceram como vocês jamais morreram, somente os véus da Ilusão vos fizeram aderir e vos fizeram viver as consequências.

Lembrem-se do que eu disse : «Ninguém pode penetrar o Reino dos céus se não se tornar como uma criança, inocente e espontânea.». Então vocês estão convidados, quaisquer que sejam as vossas obrigações efémeras, que nada representam ao nível da eternidade, a deixar essa inocência, essa Alegria, essa Infância expressar-se através de vós. Não limitem nada, não busquem nada, simplesmente estejam aí, no Coração do Coração, presentes uns com os outros, no Silêncio. Para isso vocês não têm necessidade de estar ao lado ou de estar em proximidade, simplesmente vocês têm necessidade de serem integralmente vocês mesmos, não a pessoa e a história que vocês vivem mas essa Eternidade que alguns entre vós perceberam rapidamente ou viveram. Ninguém poderá manter-se na tepidez, ninguém poderá ser hesitante, estejam seguros, pois isso está à vossa porta, e vocês terão a oportunidade de viver por vocês mesmos e de verificar a verdade.

O reino do Amor e o reino da Eternidade estão diante de vós. Lembrem-se também de que aquele que quiser salvar a sua vida efémera a perderá, a fim de descobrir ele também a verdade da Eternidade. Eu venho cortar o que deve ser cortado, e lembrem-se que o vosso único juiz são vocês mesmos, mas quando vocês vivem a vossa eternidade, qual julgamento poderá apresentar provas a esse efémero que desaparece? Não percam tempo, vão ao essencial, diretamente na Verdade, diretamente na Paz. Estejam seguros de que se vocês dão um passo para mim, eu darei três para vós e isso, de maneira instantânea.

Lembrem-se de que eu não fui somente esse personagem histórico, mas eu sou antes de tudo a vossa imagem fiel, tendo assim como vocês sofrido a ignomínia deste mundo, deste mundo de perdição e de ilusão, qualquer que seja a beleza que vocês possam viver quando vocês estão em vida. Hoje é indispensável e essencial reencontrarem-se na totalidade, e lembrem-se de que nada, no meio da história da vossa pessoa, como nada no meio das experiências vividas em todos esses anos ou desde o vosso nascimento, ou desde há muitas vidas, pode resistir diante da Verdade.

Sejam humildes e sejam gentis com cada um. Lembrem-se do que eu disse: «O que vocês fazem ao menor de vós, é a mim que vocês o fazem, e portanto a vocês mesmos». É isso que descobrem aqueles que têm exercido a predação em oposição a vocês em qualquer nível que isso seja.

Lembrem-se de que há apenas duas leis: a ação-reação ou a ação da Graça. Cabe a vocês escolher, mas vocês não podem conservar o vosso livre-arbítrio e serem livres ao mesmo tempo. A Liberdade não tem o que fazer com os vossos conceitos, a Liberdade e a Verdade não têm o que fazer com as vossas experiências, a Liberdade e a Verdade são de toda a eternidade o que vocês são. O resto não representa senão experiências felizes ou infelizes no meio desta terra.

A revelação das vossas linhagens, a revelação da história escondida no centro Terra foi um suporte fantástico que vos permitiu libertarem-se até um certo ponto. Doravante é tempo de se libertarem totalmente e de se reencontrarem aqui mesmo, na vossa carne, nestes dias reduzidos pela vontade da Fonte, a fim de manifestar, expressar e consciencializar a verdade do Amor. Isso deve tornar-se e ser a vossa única preocupação mental, emocional, afetiva ou social.

Assim, vocês serão impulsionados a falar como nunca, como foi o caso para os apóstolos quando do Pentecostes. Vocês são os sucessores dos doze apóstolos originais e vocês falarão em línguas, e a vossa língua falará somente o Verbo do Amor. Tudo o resto se apagará diante da potência desse Verbo, na condição de o viverem em humildade, em simplicidade, no caminho da Infância e da Inocência.

Hoje eu vos digo, os tempos estão consumados. Hoje eu vos digo: «Paz a vós». A verdade emerge enfim na sua simplicidade e na sua glória. Que os vossos olhares, as vossas palavras, os vossos atos, os vossos pensamentos, as vossas ocupações, as vossas atividades, sejam todas decalcadas da mesma verdade, da mesma beleza e do mesmo amor a fim de que vocês possam declamar pela vossa presença no seio do Verbo: «Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Eu sou a Eternidade.».

Na última graça da Confederação Intergaláctica dos Mundos Livres, nos próximos dias, resta-vos atualizar isso, aquiescer à vossa eternidade e à verdade do Amor. Nenhuma outra preocupação encontrará lugar de expressão no seio da vossa consciência, do vosso corpo como do vosso coração. O Amor incondicionado e eterno toma todo o espaço, toma todo o tempo e posse do vosso corpo. Cabe a vocês dizerem «sim». Cabe a vocês, por um ato de sacrifício, de bravura e de simplicidade, entregarem-se a essa eternidade, quer vocês a conheçam, a vivam, ou não ainda.

Qualquer que tenha sido o vosso caminho durante esta vida, e mais particularmente no decorrer destes últimos trinta e três anos, hoje é um novo dia, a nenhum outro comparável. Os sinais visíveis, sejam sobre a terra ou nos céus, sejam no meio dos vossos irmãos e irmãs presentes no vosso ambiente, virão confortar a verdade do Amor. A verdade do Amor será aliás a única solução a tudo o que acontece (se produz) doravante sobre esta terra.

O conjunto do que vocês chamam os povos da natureza finalizou a sua missão e a terminou, da mesma maneira que vocês terminam o vosso efémero para dar lugar à eternidade do Amor, à majestade dessa eternidade.

Então, eu vos digo uma quarta vez: «Paz a vós, Paz em vós».

A Graça vos acompanha, a Verdade é o vosso estandarte, o Amor é o vosso verbo e o vosso olhar é a Luz dos mundos. Não se deixem encobrir por aquilo que não é o instante presente, não se deixem encobrir por qualquer medo de qualquer futuro, pois não há futuro no seio da Eternidade, como vocês sabem e vivem talvez, existe apenas o instante presente, na sua beleza, na sua magnificência e na sua verdade. Vocês não têm necessidade de nenhum plano, de nenhuma estratégia, de nenhuma elaboração de qualquer plano, simplesmente vocês têm necessidade de serem autênticos e de serem o que vocês são, além de qualquer aparência, de qualquer sofrimento e de qualquer desejo.

Portanto eu dirijo-me a vós, aqui e em toda a parte sobre esta terra, como outras vozes se elevarão durante esta semana santa que se aproxima para expressarem a mesma coisa, para saberem que os tempos estão consumados e que o tempo da Ressurreição e da Ascensão se desenrolam neste mesmo momento.

A vida que vocês vivem no seio do efémero pode efetivamente propor-vos ultrapassar e viver alguns obstáculos. Lembrem-se de que vocês não os podem ultrapassar vocês mesmos, nem por qualquer conhecimento, mas unicamente pela verdade do Amor, do que vocês são na eternidade.

O único julgamento é aquele do face à face entre o efémero e a Eternidade de cada um de vós, mostrando a vós mesmos, segundo o que vocês decidem na vossa alma e consciência, como reagir, como aquiescer. O que se desenrola sobre a tela da vossa consciência pessoal, no vosso corpo como nos vossos pensamentos, não é senão a ilustração disso. Não vejam aí nada além, não há nem punição, nem castigo, nem coisas a reparar.

Vocês que vivem uma das Coroas, vocês que têm, mesmo com relutância, lido as nossas intervenções nestes tempos ou em tempos mais antigos, estejam prontos, o que quer que vos diga a vossa pessoa, o que quer que vos diga a sociedade, e o que quer que vos diga a vossa vivência. A partir do instante em que a última graça for revelada aos vossos olhos em muito poucos dias, não haverá mais nenhuma dúvida sobre a realidade do que vocês são; quer vocês o creiam, quer vocês o recusem, quer vocês o vivam ou quer vocês não o vivam, isso nada mudará. Evidentemente, após o Apelo da nossa Mãe e após os três dias de trevas a viver, cada um estará face à sua liberdade, cada um estará face ao que ele pôde crer ou criar no seio desta ilusão, podendo representar um peso, ou ao contrário, uma leveza.

A Luz não faz nenhuma diferença, como a luz do Sol, entre aquele que me reconheceu e aquele que me voltou as costas. O karma pertence à ilusão deste mundo e ninguém me pode conhecer se não renascer de novo, a fim de que vocês também estejam sobre o mesmo pé de amor e igualdade. Eu vos remeto por isso para a parábola do filho pródigo.

As frases que eu pronunciei quando da minha passagem sobre esta terra são hoje de uma atualidade que eu qualificaria de gritante, não a história que foi construída pelas religiões que se serviram do meu nome e que me traíram, como eu anunciei e enunciei.

Eu venho reconstruir o templo da Verdade e nada se poderá opor, nenhuma história se poderá manter de pé diante da majestade da Eternidade. Estejam seguros e vão em paz. Tratem das vossas atividades quaisquer que elas sejam, mas guardem o vosso coração, vigiem e orem. Que todos os vossos atos, que todos os vossos pensamentos neste momento mesmo e nos dias a vir estejam voltados exclusivamente para a primazia do Amor, fazendo-vos ver no outro o que vocês são, e nada mais e nada menos.

Chamem-me. Como a minha mãe está presente para alguns entre vós ao vosso lado, desde este dia eu também estou de maneira, eu diria, muito mais tangível do que talvez vocês puderam viver nestes anos passados, e de maneira muito mais tangível do que puderam viver aqueles que me imitaram, que vocês chamam os santos. Vocês também são santos assim como eles, vocês são o mesmo Amor e a mesma Verdade. Somente a expressão dessa Verdade pode ser alterada, pela primazia do Amor, deste mundo de privação.

Então permitam-me, neste dia da Paixão, transmitir-vos de maneira coletiva e universal a verdade do Amor, a verdade da Paz, a verdade da vossa eternidade. Não sejam mais joguetes das veleidades e dos laços deste mundo, não sejam mais joguetes do medo, sejam verdadeiros, estejam comigo, estejam convosco e sejam iguais para com cada um de vós com a mesma intensidade e a mesma verdade do Amor. Esqueçam tudo o resto que se passa neste mesmo momento. Não mantenham nada que não seja a Verdade, deixem que a vida vos faça soltar, sem medo e sem arrependimentos, pois eu vos anuncio a vossa Ressurreição, não nos próximos tempos, não na vossa revolução solar, mas desde agora. Estejam em paz pois eu vos amo, estejam em paz pois vós sois a Paz e vós sois o Amor.

Não esqueçam jamais disto de qualquer maneira, vocês não poderão esquecer o momento vindo.

Permaneçamos em comunhão alguns minutos, onde quer que vocês estejam sobre esta terra, neste dia como nos dias posteriores, desde que vocês tenham escutado ou lido o que eu vos anuncio neste dia e nesta hora.

… Silêncio…

Como eu disse há dois mil anos, vocês podem dizê-lo ao vosso redor, vocês são a Luz do mundo, vocês são o Caminho e a Verdade, a Vida, e vocês são todos Um com o Pai, como eu o disse. O momento é para essa revelação. Eu não vos peço para acreditarem em mim, eu não vos peço para aderirem às minhas palavras, mas para me imitarem, ao serem vocês mesmos o que vocês são, sem fardos nem desvios, sem questões, com fé, com sinceridade. Assim eu me dirigirei a vós antes mesmo da hora em que eu devo vir cortar de maneira coletiva o que deve ser cortado.

… Silêncio…

Eu dou-vos a minha Paz e eu acolho a vossa Paz. Eu dou-vos o Perdão, como vocês me dão o Perdão, a fim de que a Graça e a sua majestade embebam cada fibra do vosso efémero como da vossa eternidade.

… Silêncio…

Abençoado seja o Eterno, abençoada seja a Verdade, abençoado seja o Amor. Sejam abençoados, a minha irmã, o meu irmão, eu estou consigo neste fim dos tempos. Alegre-se, você, ressuscitado na glória eterna. Eu te amo. Venha a mim, venha para si.

Seja abençoado a cada minuto e a cada sopro na Graça do Amor e da Verdade.

Em nome da Fonte, em nome do Único, em nome da lei do Um, digne-se a receber as minhas saudações e as minhas homenagens, digne-se a me acolher na alegria do Espírito ressuscitado.

… Silêncio…

Eu vos saúdo, filhos do Único, plenos de graça, a Luz está convosco.

Vocês são abençoados, cada um da mesma maneira, e o fruto do vosso coração é abençoado.

… Silêncio…

Eu sou Um com cada um de vós.

Acolham a Luz-Cristo na unidade e na verdade.

Abençoado seja no seu novo nascimento, você que jamais nasceu e que jamais morreu.

A nossa Mãe virá detalhar, se o posso dizer, o cenário escrito para este fim dos tempos, que os meus profetas anunciaram e que você vive neste dia. Eu rendo graças à sua escuta, à sua presença, à sua leitura.

Abençoado seja você, filho do Um, abençoado seja você, Amor encarnado.

… Silêncio…

Eu o convido para a minha Paixão, eu o convido para a verdadeira Vida, e sobretudo eu te amo, bem além da medida com a qual você me ama e do mesmo Amor, no entanto, que nós portamos todos juntos. É tempo agora de calar as minhas palavras e de o deixar passar à ação, à ação da Graça, ao estado de Graça a fim de que você se torne, nestes tempos abençoados, a própria Graça.

Eu lhe digo: «Até sempre na Eternidade», eu lhe digo: «Até sempre neste instante».

Eu estou consigo para o fim dos tempos, eu estou consigo para a Eternidade; então alegre-se, eu venho anunciar-lhe a boa nova. Eu te amo, os tempos estão consumados.

Até logo.

PDF (Link para download) – JESUS CRISTO – 2 abril 2017

Clique aqui para fazer o download do áudio

Fonte – https://lestransformations.wordpress.com/

Fonte – https://ultimasleiturasdaluz.blogspot.pt/

Tradução do Francês: Ligia Borges

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s