Crops Circles – A Geometria e a Mensagem do Povo das Estrelas – 1ª Parte – 25.03.2015

Crops Circles – A Geometria e a Mensagem do Povo das Estrelas – 1ª Parte – 25.03.2015

A humanidade sempre conviveu com fenômenos para os quais não encontrava explicação científica. Diante de tais eventos, é comum atribuir explicação sobrenatural ao fato. Especulações de toda a sorte são feitas quando não se consegue explicar cientificamente dado fenômeno. Na realidade não existe nada sobrenatural. O que ocorre é que existem leis naturais que regem todo o universo, mas a percepção humana ainda não alcança a plenitude dessas leis. Nada deixa de ser governado por elas. O que nos impressiona na atualidade é o fato de não conseguirmos responder questões colocadas por fenômenos naturais em plena era tecnológica na qual vivemos. Assim como a humanidade consegue hoje explicar a causa de eclipses, abalos sísmicos, erupções vulcânicas, modificações nas espécies, entre outros fenômenos naturais considerados misteriosos no passado, em um futuro próximo conseguiremos explicar os “CROPS CIRCLES” e outros fenômenos, como a origem do universo, a ocorrência de OVNIs, outras dimensões espaciais, além dos misteriosos poderes da mente humana e da consciência que interferem nos rumos de nossas vidas.

O fato de haver explicações para tudo (?) à luz das leis naturais, não significa que o universo é limitado ao que conhecemos. Da mesma forma que utilizamos muito pouco da nossa capacidade intelectual, também conhecemos uma fração pequena do que ocorre na natureza. Buscar explicações para os fenômenos naturais não significa ser cético e desprezar conhecimentos milenares de culturas antigas e interpretações religiosas, místicas, esotéricas ou espirituais. Ao contrário, essas interpretações devem levar ao aprofundamento dos estudos visando o maior conhecimento da natureza e da mente humana.

Num contexto de ampliação de nossa consciência sobre o que somos e como nos relacionamos com a natureza, seremos levados a um patamar que nos permita entender definitivamente que fazemos parte de um TODO muito mais amplo do que nossa dimensão individual, que estamos intimamente interligados e que somos afetados, em maior ou menor escala, por tudo o que acontece em qualquer parte do universo. Os “CROPS CIRCLES” podem ser uma mensagem para nós, que utiliza a geometria complexa como interface de comunicação, como uma linguagem inteligente para que possamos decifrar seu conteúdo. Não importa, por ora, quem é o emissor de tal mensagem, o qual um dia conheceremos. No momento o que importa é o conteúdo. Nos círculos nas plantações pode haver um alerta de como estamos lidando com nosso planeta, sobre quais as consequências de nossas opções individualistas e da nossa relação de desconexão com a vida, com o cosmo, e com os níveis superiores de consciência.

CropCircle1

Existem registros do aparecimento desses misteriosos círculos nas plantações inglesas desde 1647. O mais antigo relato de Crop Circles data de 1678. Em 1880 houve uma investigação dos Crop Circles, levada a cabo por um cientista amador chamado Rand Capron, que as atribuiu a causas meteorológicas, obviamente por falta de explicação melhor. Havia uma clara descrição dos padrões mas só foram largamente relatados em 1972. Geralmente eles aparecem em lugares onde se cruzam linhas magnéticas da terra (não por acaso fica por ali o sítio megalítico de Stonehenge).

Cerca de 90% dos círculos genuínos surgem quase sempre nas mesmas áreas, perto de sítios sagrados, muitas vezes sendo precedidos ou acompanhados de sons e luzes misteriosas. As aparelhagens têm encontrado a presença de uma energia desconhecida, que produz mudanças a nível genético nas plantas e nas sementes. As pessoas que permanecem dentro das formações relatam alterações em todos os níveis – espiritual, mental, energético, emocional e físico, representadas por experiências transcendentais, expansão de consciência, projeção astral, regressão espontânea, clarividência e emoções diversas. No início, as formações eram simples circunferências, mas agora se tornaram duplas, triplas, quíntuplas, figuras anelares, triangulares, ovais, espiraladas.

Ultimamente têm aparecido pictogramas e estrelas fractais com simbolismos complexos, geométricos ou místicos, associados com diversos caminhos espirituais, conceitos filosóficos ou científicos (astronômicos, físicos, matemáticos). A simetria e as dimensões das figuras são extraordinárias, alguns desenhos medem centenas de metros e não se repetem. O astrofísico Bernard Haisch, do Instituto de Física e Astrofísica da Califórnia disse que “esses padrões altamente organizados e inteligentes não poderiam ser criados pela força da natureza”, e foi mostrar um desses desenhos ao chefe da tribo Hopi  (indígenas dos EUA). E ele mostrou que tinha o mesmo desenho, tradição de seus antepassados e  explicou que esses eram avisos dos “deuses” para uma época de grandes mudanças na Terra. Que Stonehenge teria sido um outro aviso desses, gravado em pedra para que passasse às próximas gerações, e que dessa vez estava sendo gravado em plantas (perecível) porque não seria preciso alertar uma próxima geração de outra mudança dessas. (?) Hopi viu os símbolos e disse: “Eu conheço esse símbolo milenar como parte da profecia Hopi, um símbolo que anuncia o retorno do Povo das Estrelas. Eles já estão aqui”. Isso nos dá o que pensar. Então, todos esses sinais poderiam ser um alfabeto de um “Povo das Estrelas”, ou um símbolo de sua chegada?

CropCircle2

Apesar da tentativa deliberada de desacreditar o fenômeno por governos e Elite Mundial (os quais já sabem e já fizeram contato com inteligências de outros Orbes), os estudiosos que lá se encontram, nas regiões em que os círculos aparecem, afirmam que a maioria deles possui características que não poderiam ser reproduzidas por seres humanos, além das seguintes propriedades descritas abaixo:

1 – Presença de quantidades anormais de radiação eletromagnética; 2 – Hastes das plantas dobradas e não quebradas; 3 – Alterações biofísicas nas plantas; o vórtex energético que dobra os caules das plantas não os amassa, quebra ou queima, simplesmente os inclina em movimentos ondulantes, circulares ou espiralados, fazendo com que eles continuem se desenvolvendo normalmente. Os caules chegam a ser entortados até 90º, em um ponto entre 20 e 80% da sua altura total. Algumas vezes, plantas situadas lado a lado são inclinadas em direções opostas, sem que algumas sequer sejam quebradas (o que acontece ao se tentar desentortá-las). Análises físico-químicas mostram um aumento de radiação que altera o compasso da bússola e um enriquecimento do solo em hidrogênio, como se tivesse recebido uma forte descarga elétrica. 4 – Aparelhos elétricos e magnéticos como câmeras, bússolas e celulares que não funcionam no interior dos círculos. Os radiestesistas confirmam a presença de intrincados padrões energéticos dentro e ao redor dos círculos, além de anomalias magnéticas. Outras características relatadas por testemunhas incluem alterações do espaço-tempo no interior dos círculos (documentadas por fotografias e relógios que param, depósitos microscópicos de material de meteoritos e sensações de desconforto, como tonturas e vômitos, no interior dos círculos).

CropCircle3

Descartando completamente a hipótese dos céticos sobre a autoria humana das imagens e voltando-se ao fenômeno original, observamos que as formações seguem padrões de Geometria Euclidiana, com complexas formas e motivos, atualmente com várias manifestações baseadas em geometria fractal e simbologia matemática, rica em mensagens codificadas sobre lavouras de grãos ao redor do mundo.

Mas o que temos de concreto até o momento?

1 – Sabemos da pesquisa científica que eles são formados (as genuínas formações) por uma energia capaz de alterar a estrutura molecular da planta sem danificá-la. Além disso, também é capaz de alterar a taxa de crescimento e o seu padrão.
2 – A energia envolvida parece ser benigna, mas sua natureza ainda é desconhecida.
3 – Algumas formações irradiam uma onda de aproximadamente 5.7 Hz no espectro eletromagnético.
4 – Ocorrem às vezes paralelamente ao avistamento de Ovnis.
5 – Mesmo após a colheita, a forma dos círculos tem permanecido na terra durante pelo menos seis meses em alguns casos. Isto não pode ser conseguido por “formações na colheita” feitas por humanos.
6 – Em algumas das formações, bússolas giram denotando uma anomalia magnética presente.
7 – A plantação fora da formação não exibe as mesmas características encontradas dentro do círculo.

Outro aspecto fascinante das manifestações é a marca deixada nas plantas. As alterações biofísicas são de um grau desconhecido na sua origem, mas algumas simulações demonstraram que a aplicação de alta carga energética pode produzir efeitos semelhantes na estrutura das plantas. Outros estudos tem sido conduzidos por biofísicos e biólogos moleculares no tocante à estas alterações, bastante peculiares e também impossíveis de serem produzidas por mãos (ou pés) humanos. Alguns estudos comprovaram alterações na parede celular das plantas, bem como alterações cromossômicas e embrionárias nas sementes.

CropCircle4

Assim, muitos veem na geometria intrincada dos círculos, uma linguagem através da qual se transmite uma variedade de complexas informações tais como símbolos representando deuses e deusas, símbolos genéticos, códigos de viagem no tempo, arquétipos cósmicos, circuitos elétricos, dispositivos espaciais, símbolos astronômicos e astrológicos e até mesmo “insígnias do povo das estrelas”. A questão é a seguinte: QUEM ESTÁ QUERENDO SE COMUNICAR DESSA FORMA? O QUE ESTÁ QUERENDO DIZER? PORQUE AS AUTORIDADES E MÍDIA FINGEM NÃO TOMAR CONHECIMENTO?

Por mais que céticos afirmem que esses círculos são forjados por seres humanos (bem ou mal intencionados), apesar do plantão permanente de centenas de cientistas no local presenciando o fenômeno, o progressivo aumento na quantidade e complexidade das figuras se torna claro e evidente que os enigmáticos desenhos jamais poderiam ser feitos por mãos e recursos humanos. A cada nova e intrigante figura que surge nos campos, aumenta a certeza de que existe uma forma de inteligência sobre-humana e uma energia desconhecida como causas que produzem esse fantástico fenômeno.

Nos próximos posts, analisaremos alguns desenhos com informações bastante claras e mensagens contundentes, comparando-as com a geometria conhecida e dados científicos, cujas provas atestam a veracidade e autenticidade destes magníficos desenhos. Podem ser avisos, podem ser mensagens, podem ser códigos, mas, uma coisa é certa: Algo existe neste grande universo que ainda desconhecemos por completo e nós, estamos na mira destes povos das estrelas, que muita coisa ainda tem para nos ensinar.

E cabe á nós, acreditarmos que não estamos a sós nesta vasta “poeira de estrelas”……

CropCircle5

“Minha fé é no desconhecido, em tudo que não podemos compreender por meio da razão. Creio que o que está acima do nosso entendimento é apenas um fato em outras dimensões
e que no reino do desconhecido há uma infinita reserva de poder.” – Charles Chaplin.

Bibliografia para consulta

A Alquimia das 9 Dimensões – Decodificando o Eixo Vertical e os Círculos nas Plantações – Bárbara Hand Clow
Terra – Biblioteca Viva – Bárbara Marciniack
Crops Circles – Karen Alexandre
Crops Circles – The Bones of God – Michel Glick
Crops Circles – Marry Carrol Nelson
Mysterious Crops Circles – Chris Oxlade
The Hypnotic Power of the Crops Circles – Bert Janssen
Crops Circles, Hebrew and Maya’s Profhesy – Michel Glickman

Nota – Os livros das Bárbaras Marciniack e Hand Clow estão disponíveis na nossa Biblioteca.

(Nota Gilberto – Leia a “2ª Parte“)

Divulgação: A Luz é Invencível

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s