A Estrada – 21.03.2015

A Estrada – 21.03.2015

Por Suzanne Lie PhD – Postado em 21 de março de 2015

Eu não entendo muito,

mas eu sei que

algo está diferente.

Não algo óbvio,

ah não, é muito sutil,

um pequeno sentimento silencioso lá dentro no fundo.

Talvez, apenas talvez, lá no fundo

onde sempre houve

dor e saudade

algo como satisfação

está começando a criar raiz.

Algo como satisfação

somente porque eu realmente não sei

como é a satisfação,

nunca tendo realmente a experimentado.

Sempre precisei de mais.

Nada tem sido suficiente

porque nada jamais suavizou

a constante saudade

que tem assombrado minha mente inconsciente.

Agora estou começando a perceber

que tenho tentado aliviar minha dor

a partir do exterior

quando ela realmente existe no interior

onde nada e ninguém externo a mim

pode tocar ou curar a ferida

que purga lá no fundo.

Então, preciso me curar.

Mas eu consigo?

Será que posso descobrir sozinha

o que ninguém mais consegue descobrir para mim?

Ninguém, é isso, do lado de fora.

Dentro é outro mundo,

outra realidade.

Dentro é onde sempre vivi

e para onde sempre desejei voltar.

Normalmente eu odeio o mundo exterior

porque ele parece me manter fora do meu verdadeiro Eu.

E, afinal, o que havia lá fora?

Dinheiro?

Que somente me causou problemas.

Sucesso?

Que parecia significar apenas mais dinheiro

para causar mais problemas.

E Amor?

Sim, o Amor é por que eu fiquei

Sem Amor

eu teria me recolhido lá no fundo

há muito tempo.

Sem o Amor eu teria

deixado o mundo exterior,

deixado-o sem nunca virar para trás.

Mas, embora eu nunca tenha entendido por quê,

e embora normalmente doa,

eu fiquei pelo Amor.

Talvez agora o Amor externo

e o Amor interno possam se unificar.

Imagino a glória disso.

Imagino a estrada de Amor

levando para frente e para trás

a partir do coração da minha realidade interior

para o coração do meu mundo exterior.

Esta estrada poderia conectar

as minhas duas partes

que sempre pareceram estar em guerra.

Se meus mundos interior e exterior

estivessem realmente unificados,

eu poderia encontrar a Paz.

Na verdade eu poderia SER a Paz.

E então,

sim, então,

eu poderia ajudar.

(Queridos Leitores, este poema foi escrito há muitos anos, quando eu realmente me sentia deste modo. Eu o incluí agora na esperança de que vocês também possam encontrar a SUA estrada.)

Se algum de vocês escolhesse contar um pouco sobre como você encontrou sua “estrada” ou até se você ainda se sente desorientado, seria maravilhoso!

Bênçãos a todos

Sue

Fonte: http://suzanneliephd.blogspot.com

Tradução: Blog Sintese

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s