A Ciência Concentra-se na “Luz Interior” como Curador Definitivo – 12.01.2015

A Ciência Concentra-se na “Luz Interior” como Curador Definitivo – 12.01.2015

Por Christina Sarich

Você acha a sua psique suficiente para prever o futuro da sua saúde? A maioria das pessoas responderia: ‘claro que não’, mas com a nova ciência chamada biontologia, podemos literalmente medir a luz armazenada em nosso DNA e determinar nosso provável estado de bem-estar e vitalidade.

Se ter um “corpo de luz” parece-lhe tolice, você pode reconsiderar isso depois de ler o que segue. De acordo com os cientistas, como Alfred Fritz-Popp e Pjotr Garjajev, juntamente aos físicos que estudaram medicina, como Johan Boswinkle, biofótons são a “luz” que exalamos de nossos corpos em níveis muito fracos, que estão um pouco além do espectro visível. Eles são, de fato, o nível de força da organização sub-quark de toda vida – animal, vegetal e humana igualmente. Precedem qualquer reação bioquímica do corpo.

“Nos modelos clássicos de química e física, a luz é emitida quando um eléctron é ‘excitado’ para um estado energético superior e então cai de volta para um estado energético inferior, o que acontece a qualquer momento em que uma reação química ocorre. Tradicionalmente, a biologia e a medicina concentraram-se nas reações bioquímicas entre proteínas, DNA e outras moléculas dentro das células. Todavia, um biofóton é sempre emitido antes de cada reação bioquímica”.

Um mecanismo que procedeu da ciência biontológica, um escâner biofotônico, já provou ser muito útil. O escâner é essencialmente um modo de medir a luz do seu próprio DNA, e pode determinar a sua saúde futura. Ao enviar um laser para a palma de sua mão, o dispositivo mede os pigmentos carotenoides em suas células. O laser pode determinar se você está se alimentando como deveria, ou se o seu estilo de vida apoia a sua boa saúde em geral. Esse é um dos primeiros usos médicos para o escâner, mas há maneiras mais ousadas que a ciência dos biofótons pode ajudar-nos.

Existem outros estudos conduzidos recentemente pelos cientistas que demonstraram que os seres humanos são “seres de luz”. Os cientistas foram capazes de utilizar esse conhecimento para objetivos práticos, e até foram capazes de alterar a comunicação neural nos cérebros de ratos, ao utilizar a energia biofotônica, e tornar mais saudáveis as células vermelhas do sangue humano. Há múltiplas possibilidades para a utilização dessa tecnologia, inclusive ampliar a agricultura saudável e mesmo manter frescos por mais tempo os alimentos, sem ter que recorrer ao uso de antibióticos e conservantes. Mais importante, podemos consertar as nossas próprias células danificadas pela má alimentação, ambiente tóxico e alimentos contaminados.

A ciência é recente e bastante diferente de qualquer coisa a que estamos acostumados, mas talvez cresça com sucesso e prove ser útil à medida que o tempo passar.

Direitos Autorais:

Christina Sarich

Tradução de Ivete Brito – adavai@me.comBlog Adavai

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s