Retrospectiva – 27 de Dezembro de 2014

Retrospectiva – 27 de Dezembro de 2014

Jennifer Hoffman

É o terceiro dia de nossa contagem regressiva para 2015 e estou compartilhando artigos de 2014, que sinto que são relevantes para iniciar o novo ano com uma lousa limpa, livre do passado e preparados para avançar com segurança, confiança e um compromisso com a vida com alegria. A mensagem de hoje se refere às escolhas e decisões.

Será que o pensamento de escolher o seu caminho da vida e de fazer escolhas sobre a sua realidade os assustam? Será que vocês iriam preferir esperar até que a escolha fosse óbvia, em fazer a escolha errada? Será que vocês têm medo de escolher algo de que irão se arrepender e, então, fiquem presos nisto, para sempre?

Estes são medos comuns em relação às escolhas e decisões e quando temos estes receios, não fazemos escolhas e ficamos “em cima do muro”, esperando que tudo funcione da melhor maneira possível. Além de nos negarmos o prazer e o orgulho que decorrem de saber que estamos no controle de nossa realidade, nós adiamos o nosso movimento quando não fazemos escolhas.

Ao lerem o artigo de hoje, que foi publicado em 25 de Março de 2014, pensem nas escolhas que querem fazer para o novo ano. Vocês podem escolher estar na alegria, liberar os medos, criar a prosperidade, manifestar um novo relacionamento, ou ter confiança em si mesmos e confiar que vocês sempre fazem as melhores escolhas, a cada momento. Anotem algumas escolhas que farão em 2015 para começar o seu ano, sendo capazes de escolher com sabedoria e confiança.

E assim é.

Cinco Sinais de que Você está em cima do muro e como fazer a melhor escolha

Esta mensagem é de Março de 2014, e aborda escolhas, decisões e como, muitas vezes, as protelamos, porque estamos em cima do muro, esperando fazer a escolha melhor ou mais adequada e no sentimos presos, inseguros e com falta de confiança. Como você sabe qual é a melhor escolha ou a mais adequada? Você não pode saber, até que a tenha feito – e, então, poderá fazer outra escolha.

Aqui está a introdução do artigo.

A expressão “em cima do muro” é usada para descrever uma situação onde estamos indecisos, inseguros, confusos, ou, simplesmente, oprimidos por uma situação e ficamos paralisados ou presos e não podemos tomar uma decisão. Assim, ficamos em cima do muro, sem fazer uma escolha para qualquer coisa. Às vezes, é mais fácil ficarmos em cima do muro do que no desconhecido. Entramos neste tipo de situação quando nós…

– Definitivamente não queremos uma escolha, mas não temos certeza sobre outra.

– Acreditamos que cada escolha é uma proposta “para sempre” e não podemos mudar de ideia, uma vez que escolhamos algo.

– Temos medo de passar para outro caminho, porque não queremos fazer algo errado.

– Estamos ainda chateados, com raiva, ou afetados por uma experiência desagradável recente e não queremos repeti-la.

– Ou estamos simplesmente irritados e é assim que mostramos ao mundo que não mais iremos participar.

A parte boa de estarmos em cima do muro é que estamos cientes de todos os cenários possíveis, pelo menos a partir de uma distância. A parte ruim de estarmos em cima do muro é que estamos perfeitamente imóveis, sem fazer uma escolha em qualquer direção e nos sentimos presos…

Sabemos que estamos presos e nos sentimos mal em relação a isto, mas não conseguimos mudar de ideia sobre que caminho escolher. Será que isto descreve algo em sua vida? Como saber se você está em cima do muro?

Aqui estão cinco sinais que podem descrever uma situação “de ficar em cima do muro” em sua vida:

1 – Você se sente realmente preso e sabe disto, mas também se sente impotente diante do que vê como potenciais a sua frente. E não quer que ninguém saiba que você tem medo de fazer uma escolha, assim está fingindo que está dando um tempo para avaliar todas as suas opções.

2 – Você já fez o melhor que podia e tentou de tudo o que podia, e a sua vida está ainda uma bagunça. Assim, não fará nada e verá o que irá acontecer em seguida. Desde que não é capaz de fazer uma diferença positiva em sua vida, esforçando-se, você não tentará nada e verá se isto funciona melhor para você.

3 – A decepção mais recente em sua vida está ainda fresca em sua memória. Você tentou rir disto, mas está realmente se sentindo mal com isto. Ninguém sabe o quanto isto abalou a sua confiança, em si mesmo e em suas habilidades, e você não confia mais em si mesmo.

4 – Nenhuma das opções que você está vendo a sua frente é atraente e todas elas exigem muito esforço, não liberam o resultado que você quer, e você está tendo dificuldade em acreditar que qualquer uma delas poderia ter um resultado positivo ou desejado.

5 – Você quer que outra pessoa faça a escolha por você, ou esperar até que tenha que fazer uma escolha, porque você acha que a situação irá se resolver e, então, a escolha melhor e mais óbvia irá se apresentar e você não terá que fazer uma escolha, porque somente uma estará disponível.

Se qualquer uma destas situações descrever o que você está sentindo agora, não se sinta mal. Nós, muitas vezes, nos encontramos em cima do muro, quando somos confrontados com uma importante escolha, ou quando temos medo de tomar uma decisão. Estar em cima do muro não é o problema, é a paralisia e o medo que sofremos quando estamos em cima do muro, que levam a uma falta de confiança e ao medo. Então, quando finalmente temos que fazer uma escolha, geralmente porque esperamos tanto tempo que não podemos evitá-la, a escolha se baseia no medo e não tem poder, e os nossos resultados refletem isto.

A melhor maneira de sair de cima do muro é escolher a partir do resultado, não da escolha. Geralmente não sabemos qual será o resultado e desde que estamos com medo, todas as escolhas são aterrorizantes. Mas se focarmos o resultado que queremos, começaremos a atrair a energia que o resultado requer e a escolha que se equipara a este resultado se tornará mais clara. É possível também que a escolha que se equipara ao resultado que queremos não seja ainda uma das escolhas que estamos considerando, assim ao entrarmos na energia do nosso resultado ajuda a criar esta energia em nossas escolhas. Então, elevamos a frequência de nossa perspectiva, mudamos a vibração e atraímos um resultado potencial mais elevado, porque não estamos mais no medo ou temerosos de fazer a escolha errada.

Fonte – www.enlighteninglife.com   

Tradução de Regina Drumond Chichorro – reginamadrumond@yahoo.com.br 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s