Seres Infinitos Não vestem Rótulos – 10.12.2014

Seres Infinitos Não vestem Rótulos – 10.12.2014

‘Nunca pertença a uma multidão. Nunca pertença a uma nação. Nunca pertença a uma religião. Nunca pertença a uma raça. Pertença a toda a existência. Por que se limitar a coisas pequenas? Quando o conjunto está disponível.” – Osho.

Essa citação é a solução para quase todos os conflitos no Planeta Terra.

Um ser que não se entrega a um rótulo é livre. Um ser que não se identifica com um rótulo não pode ser manipulado por forças externas.

A tática de dividir para conquistar tem sido muito utilizada para manipular a humanidade. E vai continuar até que nós paremos de anexar a nossa identidade à rótulos. A separação é uma ilusão (o entrelaçamento quântico é uma prova disso). Quando você vê que tudo está conectado, quando você vê todo mundo como um aspecto de si mesmo, como você pode, eventualmente, causar dano a alguém?

“Aquele que experimenta a unidade da vida vê seu próprio Ser em todos os seres…” – Buddha.

As pessoas mais positivamente influentes não atribuem sua identidade à rótulos. Gandhi não era “pró-índio” ou “anti-britânico”, mas pró-liberdade. Martin Luther King Jr. não foi “pró-preto” ou “anti-branco”, mas pró-liberdade. Jesus não era cristão e Buda não era um budista. Leonardo Da Vinci não poderia ser categorizado. Seu espírito não pode ser confinado a um rótulo. Todas essas pessoas foram incrivelmente únicas e compartilharam a verdade do Amor Incondicional para todos.

“Eu me considero um hindu, cristão, muçulmano, judeu, budista e confucionista.” – Mahatma Gandhi.

Você não pode ser ao mesmo tempo o observador e o objeto que está sendo observado. Você pode perceber o seu corpo, portanto, você não é o seu corpo. Você pode perceber seus pensamentos, portanto, você não é seus pensamentos. Você é a Consciência. Por que se limitar a coisas estúpidas? Da maior figura que você pensar a menos relevante, os rótulos triviais se tornaram auto identidade.

No entanto, seria extremamente ingênuo dizer que não há pessoas ignorantes que se identificam com os rótulos e atacam aqueles que podem ser considerados de um rótulo diferente. Mas alguém pode controlar como os outros pensam? Claro que não. Você só pode controlar a forma como você pensa. Você está baseando o seu senso de Eu sobre como os outros podem vê-lo? Se sim, então você está servindo a sua agenda.

Se você espera que todos os outros mudem para que você mude, então adivinhe? Isso nunca vai acontecer. Nada muda quando há difusão de responsabilidade. No fundo, você não quer conflito. Você não quer viver em uma sociedade “nós vs eles”. Nenhum de nós quer. Mas você segura à falsa crença de que “eles” têm de mudar em primeiro lugar, em vez de mudar a si mesmo.

Há uma razão pela qual Gandhi disse: “Seja a mudança que você deseja ver no mundo” em vez de “Deseje que o mundo em torno de você mude”.

A mudança começa com o (ser infinito tendo uma experiência como a) do homem no espelho.

Viva como se você estivesse dando um exemplo de como deseja que todos vivam. Não fazer isso significa que você acredita que sua realidade está além do seu controle. Você realmente acredita nisto?

Se você não assumir a responsabilidade pessoal por ser um modelo para a mudança que você quer ver, você efetivamente exterioriza o seu poder. Ao fazer isso, você não só se torna uma vítima perpétua, mas se abre para ser manipulado por agendas ocultas.

Você pode estar pensando: “Sim, eu adoraria ser um sonhador e pensar em mim como um ser infinito, mas há pessoas lá fora que possivelmente iriam me matar só porque minha pele é mais escura do que a deles”. Infelizmente, isso é verdade em muitos lugares do mundo. Mas a minha pergunta é a seguinte… Você vai deixar a mentalidade da ignorância determinar como você se vê? Você vai rotular a si mesmo só porque os outros rotulam você? Esqueça o rótulo. Seja como você é.

Não devemos tolerar a injustiça. Martin Luther King Jr. disse: “A injustiça em qualquer lugar é uma ameaça à justiça em todo lugar”. Isso é porque todos nós estamos conectados. Não devemos tolerar a separação, porque esta é a raiz das ações por trás das injustiças.

Estar ressentido com a injustiça é se colocar no mesmo nível da ignorância que a criou.

“A melhor vingança é ser ao contrário daquele que executou a lesão.” – Marcus Aurelius.

Temos de nos elevar acima, não nos permitindo ser arrastados de volta para a areia movediça da ignorância.

“A escuridão não pode expulsar a escuridão, apenas a Luz pode fazer isso. O ódio não pode expulsar o ódio, só o Amor pode fazer isto.” – Martin Luther King Jr.

Seja a mudança.

PS – Uma nota sobre a cultura…

Só porque você não se identifica com um rótulo não significa que você deve lançar a cultura para fora da janela. A não identificação com rótulos lhe dá a liberdade para não ser confinado nos limites de uma única cultura, como Bruce Lee disse: “Absorva o que é útil, rejeite o que não é, adicione o que é exclusivamente seu”.

Sim, a palavra liberdade é um rótulo também. Mas um que temos de transmitir sua mensagem dentro dos limites da linguagem. Além disso, ninguém se rotula como “liberdade”, o que, no entanto, pode ser realmente interessante.

©Stephen Parato

Origem: wakingtimes

Fonte/Tradução – A Luz é Invencível

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s